Respirar no peito e na pélvis garante saúde sexual

Por Magali Marino.

A maioria das pessoas, normalmente,  não se preocupam em observar como estão respirando, não percebem que quando tensas a musculatura se enrijece e  a respiração fica mais presa.  Você já observou a sua respiração nessas situações?

Quando você  inspira,  ou seja, coloca o ar para dentro do corpo, você pode  perceber o  oxigênio chegando ao baixo ventre? Pessoas com  uma inspiração curta, não conseguem oxigenar a região do ventre, esse é um dos motivos que potencializa  os  sintomas de ansiedade. Uma respiração curta, sem expansão, gera grandes  prejuízos à pessoa.

Quem já observou um bebê respirando pode perceber as ondinhas que se formam no seu corpo na expiração e inspiração. Ao nascer e durante a primeira infância a maioria das crianças tem uma respiração fluida, respira com todo o corpo. À medida que vai crescendo,  com as repetidas repressões e sentimentos de medo, a criança vai perdendo a respiração natural. A musculatura diafragmática vai enrijecendo e  na vida adulta quase  90% das pessoas respiram nas vias altas sem expandir a inspiração e expiração para a região abdominal.

Uma respiração quando sadia e expandida tem a inspiração de cima para baixo e a expiração inicia na pélvis até  a região toráxica,  sem bloqueios diafragmáticos. É essa respiração que Reich chama de Potência Orgástica.

Respiração Fluída, leva energia por todo o corpo
Respiração Fluída, leva energia por todo o corpo

Por outro lado, quando se tem uma disfunção sexual como ejaculação precoce nos homens ou anorgasmia (ausência do prazer orgástico) ou vaginismo, nas mulheres  essas disfunções estão  relacionadas, na grande maioria das vezes, a questões de ordem psíquica: como traumas e repressões sexuais severas que levam a bloqueios na expansão da respiração.

Para a Bioenergética, essas repressões severas e os traumas são impedidores de uma respiração profunda na região pélvica, levam à contração e tensões crônicas da musculatura dificultando ou até impedindo que a pessoa se entregue ao prazer sexual, provocando em alguns casos as disfunções sexuais.

Segundo Reich (discípulo de Freud e estudioso da sexualidade humana)  é só com a respiração abdominal que uma onda de excitação pode envolver todo o corpo. Por isso, diz ele, a respiração não pode ser dissociada da sexualidade, pois   ela  é  a responsável pela energia  da descarga sexual.

Uma respiração profunda faz com o que o corpo experiencie VIDA: os olhos brilham, a tonicidade muscular é boa, a pele mostra tonalidade vibrante e o corpo é quente.

O espasmo muscular crônico quando acontece nas disfunções sexuais limita a  liberdade do movimento e de expressão, o que leva ao sofrimento pela restrição do Prazer Sexual. O estresse emocional pode se locomover ao estresse físico: os músculos ficam enrijecidos até se contraírem em nível máximo e cronificar em dor. Essas tensões vão se desenvolvendo lentamente através de experiências traumáticas e/ou repetidas repressões, impedindo a vivência do Orgasmo, o que pode levar à desistência de viver a sexualidade pelos incômodos no momento das relações sexuais.

Existe uma relação direta das tensões crônicas da musculatura do assoalho pélvico com conflitos emocionais reprimidos no inconsciente. Esses conflitos  estão associados aos desejos reprimidos, às tensões  e ao medo de viver o prazer.

Mulhers que tiveram uma educação muito severa, que sofreram abuso sexual na infância e/ou adolescência, podem reverter essas vivências em ansiedades, bloqueios e construção de couraças rígidas, podendo desencadear algum tipo de disfunção sexual.

Essas couraças são responsáveis pelo enrijecimento da musculatura em vários pontos do corpo e pelas defesas do ego, que se revertem em dores crônicas.

Importante saber que as disfunções sexuais são psicossomáticas, que podem ser tratadas e curadas. Os tratamentos psicoterápicos corporais em Análise Bioenergética, tem tido sucesso na cura dos sintomas dessas disfunções.

É de grande importância reeducar a respiração para a  Saúde do nosso corpo, mente e expansão da  espiritualidade, essa tríade quando saudável,  permite-nos  viver a sexualidade com Prazer e Alegria.

Se quiser tirar dúvidas ou fazer comentários escreva aqui no nosso site blogasmo.com

________________

Magali Marino – Psicóloga, Psicoterapeuta Corporal em Análise Bioenergética, Sexóloga e Mestra em Design Estratégico.

11 thoughts on “Respirar no peito e na pélvis garante saúde sexual

    1. Olá Rafaela, infelizmente não conheço profissionais de Bioenergética na cidade de Curitiba. Demorei para te responder porque fui atrás de indicações. O que você pode fazer é ver na Sociedade de Análise Bioenergética de Curitiba, não gosto de indicar quando não conheço o profissional
      Obrigada pelo feedback com ralação ao texto
      Abraço

    1. Muito obrigada pela sua leitura dos nossos artigos. Fico feliz em saber que tenho contribuído. Se quiser dar contribuições, para mim é muito gratificante

    1. Minha querida Ivana, eu tenho uma grande admiração pelos seus escritos. Para mim é uma honra a sua observação sobre meus textos. Um grande abraço e parabéns pelo ingresso ao Doutorado

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *