Sexo Gostoso é Aquele Que Você Desejar

Na Idade Média o Sexo Anal passou a ser considerado pecado.
Isso perdura, no Inconsciente Coletivo, até os dias atuais.

 

Por Magali Marino

Em algumas cidades da Grécia Antiga, principalmente na Atenas do século V a.C., as relações afetivas e sexuais aconteciam naturalmente entre dois homens, era uma prática esteticamente bela e natural, chamada de Pederastia. Essa forma de relacionamento era ensinada pelos homens mais velhos aos mais jovens. Os atenienses olhavam esse modelo de relacionamento  como  a mais nobre e virtuosa  forma de amor que existia, onde um dos  objetivos era  transformar os jovens em futuros cidadãos da polis.

Já na Idade Média a sociedade ocidental  judaico-cristã, através da igreja e da medicina, classificam a prática sexual anal com diagnóstico de  doença, distúrbio e perversão. Só no ano de 1973 a  Organização Mundial de Saúde retirou a homossexualidade de sua lista de Transtorno Mental.  É preciso também evidenciar que  os termos “homossexual” e “heterossexual” ainda não existiam na Grécia Antiga e na Idade Média,  eles foram criados apenas no século XIX.

O ânus, por ser uma zona erógena, é uma das regiões do nosso corpo com uma grande quantidade de terminações nervosas e por isso com muita sensibilidade ao ser tocada.

Na infância, por volta dos 18 meses até uns 3 anos, a criança experimenta o Prazer Anal. Nessa idade descobre que seu corpo pode liberar ou reter fezes, vive sua primeira experiência de autonomia. Essa fase a psicanálise denomina de Prazer Anal Infantil.

Fica uma dica: os livros infantis ilustrativos, relativos a essa fase, podem ser lidos pelos pais e mães com as crianças.

Livro Infantil: Cocô no Trono Autora: Benoit Charlat

Ao longo da vida, devido às repressões e tabus sócio-culturais, essa região do corpo foi se tornando marginalizada, algo feio e pecaminoso, sujo e imoral, que não pode ser tocada.

Alguns casais permitem ampliar suas experiências sexuais e praticam o sexo anal. Porém, ainda existem muitas fantasias, tanto dos homens quanto das mulheres, sobre as dores e os desconfortos poderem estar presentes nesta prática, mesmo que relatem existir o desejo.

Para que seja confortável e gostoso tem que ter a vontade e a aceitação das pessoas envolvidas. Os medos e mitos das dores na penetração anal estão relacionados à cultura e à educação religiosa. Essa experiência pode ser muito prazerosa e algumas pessoas podem até chegar ao orgasmo, como relatam alguns homens e mulheres.

Normalmente quem vai atuar na penetração tem o desejo ativo, quem vai ser penetrado tem mais resistência, porém quem  quebra o tabu pode ter experiências muito interessantes.

O grande segredo para que a transa anal leve aos céus é o RELAXAMENTO!  Se existe tensão, esta  pode se reverter em incomodo – para relaxar acaricie, toque, excite, sejam cuidadosos e conversem antes sobre essa vontade.Vou fazer aqui uma metáfora do ânus com uma visita que vai na sua casa. Bem, quando o  ânus  recebe pela primeira vez a visita do pênis ou de acessórios é como alguém que bate à sua porta e você ainda não conhece, naturalmente você não abre a porta toda, deixa-a entreaberta, até se sentir com segurança. É assim que reage o ânus quando está sendo penetrado: precisa de tempo e confiança!

Existem dois músculos esfincterianos anal, um externo, que fica na porta de entrada, que tem movimentos voluntários, que a pessoa tem o comando e, existe a musculatura interna, com movimentos involuntários, assim como o seu coração que pulsa independente da sua vontade. É esse músculo interno que resiste em abrir quando não sente confiança e se contrai em momentos de medo.

Fazendo a relação do ânus com a visita, à medida que o desconhecido vai se apresentando sem pressa de entrar, o anfitrião percebe que a visita pode ser agradável, que não apresenta perigo, sente-se com segurança para relaxar e abrir a porta. Quando fica gostoso, quando se sente confiança faz até falta quando não se recebe aquela visitinha!

Quando os preconceitos e tabus são quebrados e quanto mais se confia no companheiro e/ou na companheira, mais vai haver o relaxamento involuntário. Para isso, no primeiro momento os movimentos devem ser lentos e delicados. A excitação no clitóris, nas mulheres, e no pênis e próstata, nos homens, ajuda no relaxamento e na penetração podendo levar os amantes a sensações deliciosas.

Imagem Camisinha Portal

É importante o uso de preservativos e lubrificantes à base de água, facilita a penetração. Em meio a isso podem relaxar e gozar, sintam-se merecedores e merecedoras desse Prazer. Afinal, essa zona erógena faz parte da sexualidade humana. Quando se relaxa é bom para as pessoas envolvidas, o importante é brincar e experimentar as diversas formas de encontro no sexo.

Se quiser comentar ou tirar dúvidas escreva nos comentários abaixo ou no blogasmo@gmail.com

________________

Magali Marino – Psicóloga, Psicoterapeuta Corporal em Análise Bioenergética, Sexóloga e Mestra em Design Estratégico.

2 thoughts on “Sexo Gostoso é Aquele Que Você Desejar

    1. João
      Não é isso que a humanidade (mulheres e homens) tem adotado como prática ininterrupta nos últimos 20 mil anos, a despeito de todo e qualquer norteamento e/ou codificação recente por parte de algumas poucas instituições.
      E como especialista da área de saúde não posso me deter a ideologias e dogmas, mas sim, à realidade espontânea das pessoas e da natureza.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *