DIA 31 DE JULHO: DIA INTERNACIONAL DO ORGASMO

Por Magali Marino

Nunca se falou tanto em sexualidade como nos dias atuais. Mas isso significa que falar de sexo é vivê-lo com intensidade? Será que hoje as pessoas vivem naturalmente o orgasmo mais que nos séculos passados?

A resposta é NÃO!

Ainda temos um grande percentual de homens e mulheres que não vivem, de fato, “la petite mort” – o desfalecimento orgástico.

Mas, Por que será?

A experiência orgástica requer ENTREGA TOTAL E IRRESTRITA de si para si e de si para o outro.

O MEDO de se entregar ao PRAZER DO SEXO, MEDO de perder o controle, de ultrapassar as barreiras da “Moral” que foi emprenhada no inconsciente de cada mulher e de cada homem, faz do encontro de corpos mais um lugar de tarefa cumprida, onde o orgasmo fica secundarizado, sem espaço de expansão.

É delicioso exercitar o tesão, instigar o desejo. Afeto com Sexo Amoral e entrega irrestrita é a possibilidade da Liberdade Orgástica.

Para se viver realmente o Orgasmo é preciso retirar da cabeça todos os preconceitos e juízos de valores, soltar o corpo no crescente das sensações: degustar cada olhar, pegadas ora firmes ora suaves, deixar a língua ter maestria nas lambidas, chupar lentamente, sem pressa…não esquecendo o pescoço e a virilha. Os dedos dos pés, esses são corrente elétricas quando bem lambidos. Clitóris, glande são as grandes vedetes, por isso é preciso delicadeza e firmeza para conquistá-los.

Cada parte do corpo deve ser olhada e desejada com tesão, fazendo do encontro um momento atemporal, como se ali a vida se encerrasse.

Todo dia pode ser dia de Orgasmo! Portanto, vamos nos Entregar!

Orgasmo são segundos que constroem uma Eternidade!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *